Certos medicamentos podem causar mais efeitos do que imagina, e a perda de memória é um deles.

Atenção aos medicamentos que podem causar perda de memória

Tomar remédios – e inclusive se automedicar – é um hábito comum entre os brasileiros.  E muitas vezes esses remédios trazem malefícios maiores do que podemos imaginar. Estima-se que 1,5 milhões de pessoas sofrem sequelas de alguns medicamentos, sequelas estas que incluem a perda de memória.

Por isso, se você costuma tomar muitos remédios regularmente, mesmo os prescritos por seu médico, fique atento aos problemas cognitivos que eles podem causar.  Alguns remédios que possuem esses efeitos maléficos são:

Os remédios contendo “anti”: anti-histamínicos, antidepressivos, antipsicóticos, antibióticos, antiespasmódicos, anti-hipertensivos, etc. Esses remédios podem afetar os níveis de acetilcolina, principal neurotransmissor envolvido na aprendizagem e memória.

Pílulas para dormir: muitas pessoas podem apresentar alucinações com remédios do tipo, além de sonambulismo e a famosa “amnésia de drogas”. Pílulas de dormir causam uma sonolência fora do normal, deixando o cérebro em um estado quase dopado.

Estatinas: boas para o controle do colesterol, más para a saúde do cérebro. Nosso cérebro também é formado por colesterol, que também é responsável pela aprendizagem, memória e raciocínio. Entre as estatinas que podem ser prejudiciais ao cérebro estão os remédios para o mal de Parkinson (escopolamina, atropina e glicopirrolato), epilepsia (Dilantin fenitoína) e analgésicos (heroína, morfina, codeína). A lista também inclui as pílulas para dormir Ambien, Lunesta e Sonata, Benzodiazepínicos Valium, Xanax, Ativan, Dalmane e Quinidina.

 

Fonte: Cura Pela Natureza


LEIA TAMBÉM
loading...

Comentários

Compartilhar